Galeria de Prefeitos



Valdir Heck

Início: 01/01/2017 | Fim: 31/12/2020

Valdir Heck (01/01/1989 a 31/12/1992; 01/01/2001 a 31/12/2004 e 01/01/2005 a 31/12/2008 e 1º/01/2017 - atual)

Depois de governar o município por 12 anos, Valdir Heck está de volta ao Poder Executivo para o seu quarto mandato como prefeito. Nas três primeiras vezes em que administrou Ijuí, teve como vice-prefeitos Astor Mayer, Gerson Burmann e Fioravante Ballin e, agora, conta com a colaboração de Valdir Zardin.  Entre as ações de suas gestões anteriores, destacam-se a construção do monumento “O Pioneiro”, na Praça dos Imigrantes, em 1990; a última grande reforma da Praça da República, em 2008; a construção do poliesportivo ao lado do Ginásio Municipal Wilson Mânica; a implantação da coleta seletiva em Ijuí e o início da construção do prédio do Demei e da nova sede da Secretaria Municipal de Saúde, bem como a construção de centenas de quadras de calçamento com pedra irregular em  diversos bairros, incluindo a Perimetral Norte, asfaltamento de ruas centrais, criação e implantação do Plano Municipal de Educação e Plano de Carreira, Cargos e Salários, Educação de Tempo Integral na Escola Deolinda Barufaldi, além da implantação de outras políticas sociais de inclusão na Educação e Desenvolvimento Social, especialmente.


Fioravante Batista Ballin

Início: 01/01/2009 | Fim: 31/12/2016

(01/01/2009 31/12/2012 e 01/01/2013 - 31/12/2016 )

Natural de Bozano, o prefeito Fioravante Ballin iniciou sua carreira nas áreas da saúde e educação na década de 80, como enfermeiro e professor. Foi também vereador, secretário da Saúde e de Governo e vice-prefeito do município de Ijuí. Durante o período que governou o Município, Ballin teve como vice Ubirajara Machado Teixeira. Entre as ações de sua gestão destacam-se o investimento na saúde, como a implantação do pronto atendimento 24h na sede da Secretaria da Saúde. Inclusão social também é uma constante em seu governo, a exemplo disso está o Pro-Vôlei, projeto socioesportivo que, desde a sua idealização, já atendeu cerca de 5 mil crianças e adolescentes na prática do voleibol. Investimento em ampliação e reforma das escolas municipais; pavimentação asfáltica em muitas ruas de Ijuí e início nas obras de esgotamento sanitário, também são marcas do governo. No setor de habitação foram construídos condomínio residenciais beneficiando mais de mil famílias.


Ortiz Iboti Schröer

Início: 01/01/1997 | Fim: 31/12/2000

Ortiz Iboti Schröer (01/01/1997 à 31/12/2000)

Entre outras ações, o prefeito criou o Conselho Municipal de Turismo, com a elaboração da Cartilha Turística local; adequou a Usina Velha para ser um centro turístico; perfurou poços artesianos no meio rural e fez o empréstimo de máquinas para o início da construção do presídio Regional, no bairro Luiz Fogliatto.


Gerson Ferreira

Início: 07/06/1994 | Fim: 31/12/1996

Gerson Ferreira (07/06/1994 à 31/12/1996)

O advogado Gerson Ferreira destaca-se pelo asfaltamento de trechos de algumas das principais ruas de Ijuí, como Bento Gonçalves, Emílio Glitz, 21 de Abril e Jorge Leopoldo Weber e a instalação de encanamento de água em comunidades do interior.



Wanderley Agostinho Burmann

Início: 01/01/1993 | Fim: 04/06/1994

Wanderley Agostinho Burmann (01/02/1983 à 31/12/1988 e 01/01/1993 à 04/06/1994)

O governante, que mais tarde nomearia o Parque de Exposições do Município, realizou a segunda Expo-Ijuí. A partir de recursos gerados por esta feira foi construída a estrutura do Parque. A gestão procurou descentralizar o atendimento médico criando ambulatórios nos bairros e no interior e construiu 15 praças nos bairros da cidade. Eleito novamente, assumiu o cargo em 1993. Faleceu no decorrer do segundo mandato, em 4 de junho de 1994. Seu vice, Gerson Ferreira foi empossado prefeito, no dia 7 de junho do mesmo ano, em sessão na Câmara de Vereadores.  



Wilson Mânica

Início: 31/01/1977 | Fim: 31/01/1983

Wilson Mânica (31/01/1977 à 31/01/1983)

Mânica venceu uma eleição submetida às estritas normas da ditadura militar, que ainda vigorava. Seu vice-prefeito, Olivar Scherer, atualmente é prefeito da cidade vizinha, Coronel Barros. Entre as ações de seu governo destacam-se: a conclusão da Praça dos Imigrantes, onde anteriormente era o cemitério velho; a aquisição do Bosque dos Capuchinhos e do Bosque Dr. Bozano e colaboração na infraestrutura para a implantação do bairro Modelo.                                          



Emídio Odósio Perondi

Início: 31/01/1973 | Fim: 31/01/1977

Emídio Odósio Perondi (31/01/1973 à 31/01/1977)

Em Ijuí, como acontecia em todo o País, Emídio Perondi priorizou a adaptação do município à “grande reforma do ensino”, a partir da lei 5.692/71, que ampliou e atualizou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Foi criada a Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec) e instituições educacionais passaram a ser divididas em Escolas de Área e Escolas Tributárias. Desta forma, em 1975, existiam 17 escolas que atendiam de 1ª a 8ª séries e 69 escolas, de 1ª a 4ª séries. Além de 20 escolas de 1º grau no meio urbano, de 1ª a 8ª séries; e 110 escolas municipais no meio rural, para 1ª e 4ª séries. 

Fato histórico e importante a destacar são as transformações iniciadas no cemitério velho, hoje Praça dos Imigrantes. O fato gerou muita polêmica na época por parte dos familiares, resultando na proibição das escavações para a transladação dos restos mortais, mesmo assim, mais tarde a Praça foi instalada.              



Sady Strapazon

Início: 31/01/1969 | Fim: 31/01/1973

Sady Strapazon (31/01/1969 à 31/01/1973)

Durante seu mandato, o prefeito Sady Strapazon realizou ações em todos os setores da municipalidade. Algumas delas foram: aquisição do segundo grupo gerador para a UPA e o pagamento de dívidas de administrações anteriores. Aos 82 anos, o ex-prefeito pode ser considerado uma enciclopédia viva da história de Ijuí. Partem dele, muitos dos relatos históricos do município.



Solon Gonçalves da Silva

Início: 27/01/1967 | Fim: 31/01/1969

Solon Gonçalves da Silva (27/01/1967 à 31/01/1969)

Fez reformas no gerador da então Usina da Sede, aumentando em 70% sua produção. Uma marca de sua gestão é a remodelação administrativa da prefeitura, com a criação de várias secretarias e departamentos. Durante seu mandato a cidade de Ijuí foi escolhida para sediar a Fundação de Integração e Desenvolvimento do Noroeste do Estado (Fidene). A responsabilidade da construção do prédio ficou por conta da prefeitura.



Walter Müller

Início: 01/01/1964 | Fim: 23/12/1966

Walter Müller (01/01/1964 à 23/12/1966)

Walter Müller deu continuidade aos serviços anteriormente executados, com ênfase na construção de redes elétricas, beneficiando especialmente o meio rural. Outro destaque foi a construção de três barcas para o rio Ijuí. Walter deveria permanecer no cargo até 31 de janeiro de 1968, no entanto, nas eleições de1966 foi eleito para a Câmara Estadual e passou o cargo ao vice, Solon Gonçalves da Silva.



Eugênio Michaelsen

Início: 06/07/1963 | Fim: 31/12/1963

Eugênio Michaelsen (06/07/1963 à 31/12/1963)

O vice-prefeito, Eugênio Michaelsen, deu continuação as obras que vinham sendo realizadas por Burmann. No entanto, criticou o ex-prefeito, especialmente quanto às dívidas deixadas com a eletrificação rural e o excessivo número de funcionários extranumerários.



Benno Orlando Burmann

Início: 03/01/1960 | Fim: 06/07/1963

Beno Orlando Burmann (03/01/1960 à 06/07/1963)

O destaque da administração Benno Orlando Burmann foi a construção de redes de transmissão e distribuição de energia para o interior de Ijuí. Esse prefeito deu ênfase à reparação de estradas, pontes, pontilhões e bueiros e às áreas de educação e lazer, construindo praças de brinquedo nos bairros São Geraldo, São José, Assis Brasil, Osvaldo Aranha e Penha. Benno Burmann renunciou ao cargo após ser eleito deputado estadual. Por este motivo, em 6 de julho de 1963, o então vice-prefeito, Eugênio Michaelsen, assumiu o cargo.



Lothar Friedrich

Início: 01/01/1956 | Fim: 31/12/1959

Lothar Friedrich (01/01/1956 à 31/12/1959)

Durante a administração de Lothar Friedrich foi concluída a UPA, bem como sua ampliação energética com mais um grupo gerador. O prefeito deu continuidade a obras que vinham sendo realizadas pelos administradores anteriores.



Joaquim Porto Villanova

Início: 29/11/1947 | Fim: 31/12/1951

Joaquim Porto Villanova (29/11/1947 à 31/12/1951)

Em 15 de novembro de 1947 a comunidade ijuiense pode, pela primeira vez, escolher o administrador municipal. A emoção mais forte, certamente foi sentida pelo vencedor do primeiro pleito político: Joaquim Porto Vila Nova. Junto com as eleições para a prefeitura, a primeira Câmara de Vereadores foi constituída, composta por 11 vereadores. Fato que mudou os rumos da política em Ijuí, acompanhada de um processo de modernização e progresso.

A partir da gestão de Joaquim Porto Villanova a história tomou novos rumos. O prefeito iniciou grandes avanços, especialmente na área de energia elétrica. Entre suas obras destacam-se a construção da Usina Termo-Elétrica, melhorias no calçamento das ruas, criação de escolas municipais e preparação da área para o campo de aviação.



Ruben Kessler da Silva

Início: 12/10/1947 | Fim: 22/11/1947

Ruben Kessler da Silva (12/10/1947 à 22/11/1947 e 01/01/1952 à 31/12/1955)

Foi nomeado prefeito interino no período de 12 de outubro de 1947 a 22 de novembro de 1947. Ruben Kessler da Silva teve um segundo mandato, desta vez, eleito pelo povo. Projetou e iniciou a construção da Usina do Passo de Ajuricaba (UPA), criou e construiu a Escola Normal Rural Assis Brasil (atual Imeab) e o Departamento Municipal de Estradas e Rodagens e Secção de Obras e Viação, além da Secção de Eletricidade e Saneamento.



Major Antonio Setembrino Lopes

Início: 12/05/1945 | Fim: 09/10/1947

Após pedido de demissão de Nicofé, assumiu como prefeito. Antes de ser nomeado, exercia cargos públicos municipais e estaduais. Foi presidente da Associação Comercial e Industrial de Ijuí, presidente do extinto Tiro de Guerra, do Clube Ijuí e do Grêmio Ijuiense de Letras.





Major Álvaro de Carvalho Nicofé

Início: 24/12/1943 | Fim: 25/05/1945

Foi nomeado prefeito substituto, pelo então prefeito Bührer, que lhe passou o cargo garantindo que não mais assumiria. Nicofé assumiu o comando do município em 24 de dezembro de 1943, porém só em 12 de maio de 1944 foi nomeado prefeito. O major foi caixeiro de casa comercial, gerente do Banco Nacional do Comércio, oficial de registro de Imóveis e Juiz de Paz.





Doutor Emílio Martins Bührer

Início: 29/01/1938 | Fim: 17/12/1943

Doutor Emílio Martins Bührer (29/01/1938 à 23/12/1940 e 16/01/1941 à 17/12/1943)

O advogado Emílio Martins Bührer foi nomeado prefeito após o pedido de exoneração de coronel Dico, em 3 de janeiro de 1938. Durante seu governo, limitou as zonas urbanas e suburbanas dos distritos de General Firmino (Ajuricaba) e Doutor Bozano; criou a Escola de Capatazes Rurais e fez reformas na cadeia civil. Bührer realizou ainda a primeira exposição agropecuária, cultural e industrial de Ijuí, em 1940, em celebração ao cinquentenário do município.



Coronel Alfredo Steglich

Início: 21/04/1928 | Fim: 21/04/1928

Coronel Alfredo Steglich (21/04/1928) Não existem muitos registros históricos sobre o intendente, que foi industriário e comerciante. O coronel foi destituído do cargo por desentendimentos da cúpula do governo na época.





Doutor Ulrich Kulmann

Início: 15/04/1928 | Fim: 15/04/1932

Ulrich era médico e foi o dono do primeiro hospital de Ijuí, conhecido como hospital do Kulmann, e um dos fundadores da Associação Hospital de Caridade de Ijuí. Durante sua gestão teria intermediado a vinda do relógio da Igreja Evangélica de Confissão Luterana (IECLB), que veio diretamente da Alemanha.





Coronel Soares de Barros

Início: 11/07/1912 | Fim: 21/04/1925

Coronel Soares de Barros (11/07/1912 à 30/12/1912; 30/12/1912 à 21/04/1925 e 15/04/1932 à 03/04/1938) Antônio Soares de Barros, o coronel Dico, foi o primeiro comerciante da colônia, instalando-se em Ijuí no início de 1891. A fama de homem absoluto do intendente ficou fixada na história ijuiense. Soares de Barros teve uma administração sem déficit orçamentário. Sendo sucessor de Augusto Pestana, entre outras ações, empregou esforços para manter e ampliar a rede rodoviária e as escolas. Construiu pontes no interior e linhas telefônicas que ligavam os distritos. Pertenceu ao Partido Republicano Riograndense (PRR) da época, o mesmo que governava o estado, e para o qual a liberdade não existia.


Doutor Augusto Pestana

Início: 31/01/1912 | Fim: 11/07/1912

Doutor Augusto Pestana (31/01/1912 à 11/07/1912) Colônia Ijuhy foi fundada em 19 de outubro de 1890, porém sua emancipação político-administrativa - do município de Cruz Alta -, aconteceu somente em 31 de janeiro de 1912, por meio do decreto administrativo 1.814. Tal decreto, assinado pelo então presidente de Estado, Carlos Barbosa Gonçalves, nomeou também o primeiro intendente provisório de Ijuí, doutor Augusto Pestana. O primeiro ato desse intendente foi a divisão do município em distritos. Augusto Pestana permaneceu no cargo até 11 de julho de 1912, quando foi nomeado intendente Antônio Soares de Barros, o coronel Dico.


Veja nossos canais de contato

Fale conosco


  • Rua Benjamin Constant, 429 - Centro
  • (55) 3331-8200
  • Horário de atendimento: De segunda à sexta das 8h às 12h e 13h30 às 17h30
Visualizar mapa